Neste 8 de março, nós do Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro estaremos nas ruas contra a violência de gênero, reformas da previdência e trabalhista. As medidas atacam de forma mais intensa as mulheres e tornarão ainda pior vida das trabalhadoras e trabalhadores. Diante da crise do capital e o acirramento na luta de classes, a organização das mulheres é fundamental para o fortalecimento da resistência anticapitalista.
Em 2017 comemoramos os 100 anos da Revolução Russa, um marco histórico socialista. Desde aquela época as trabalhadoras já compreendiam que a emancipação feminina não será possível enquanto houver capitalismo.
O Dia Internacional da Mulher é um dia para celebrar a resistência das mulheres trabalhadoras e avançarmos na nossa organização pela construção de uma nova sociedade. Por isso, nós do Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro ocuparemos as ruas contra a retirada de direitos e a violência sob nossos corpos, em todo o Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *