Via Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro – Porto Alegre

1969, Nova York: aconteceu a Batalha de Stonewall, desencadeada a partir da violenta repressão policial no Bar Stonewall contra as frequentadoras lésbicas, gays, drag queens, bissexuais e transexuais. A data tornou-se um marco na luta LGBT.

Hoje, no Brasil, ainda sofremos com 1 morte a cada 25 horas e também ocupamos os postos mais precarizados por conta da nossa orientação sexual e quem somos.

Constantemente invisibilizadas na sociedade capitalista, que se utiliza dos papéis sociais impostos para nos explorar e oprimir cada vez mais, nos oferecem o conto da representatividade: QUEM EXPLORA NÃO REPRESENTA!

Também precisamos superar a ideia de que se simplesmente ocuparmos espaços de poder nós iremos nos libertar. Precisamos de uma emancipação coletiva. Enquanto outra mulher sofrer com as amarras desta sociedade nós precisamos lutar!

Fontes:

http://www.revistaforum.com.br/2017/01/24/a-cada-25-horas-uma-pessoa-lgbt-morreu-vitima-de-violencia-no-brasil-em-2016/

https://pcb.org.br/portal2/11428

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *