É pela memória de Remís,
É pela vida de cada mulher.

Uma jovem mulher de 24 anos de idade foi assassinada. Motivo? Feminicídio! Mais uma.

Remís era estudante de Pedagogia da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), militante do movimento popular e estudantil.

A vida de Remís foi ceifada pelas mãos do então companheiro, foi ceifada pela mãos da brutal sociedade capitalista-patriarcal.

Segundo as cruéis estatísticas do nosso país, são oito mulheres mortas por dia por esse crime de ódio brutal. O nosso país é o quinto onde mais se mata mulheres.

Lutamos diariamente para que essa violência não seja naturalizada. Para que mais nenhuma mulher tenha seus sonhos e planos roubados, para que sejamos todas livres!

Nos solidarizamos com os familiares e amigas/os da companheira Remis.

Remis não será esquecida!
Lutaremos todos os dias por ela e por cada uma de nós!

É pela vida das mulheres!

Uma poesia àquelas que não são cantadas nas músicas de amor

Recitar o tempo presente?
Marta, 19 anos,
Sonho: Virar modelo,
Tem 85% de seu corpo queimado
Por quem? Ex-namorado
Motivo: A separação
Júlia, 42 anos,
Sonho: Já não tem mais
Morte: 27/04/2014
Motivo: 3 tiros
Por quem? Marido
Deu dois tiros nela em casa,
A SAMU socorreu,
Marido invadiu o hospital
E dá o terceiro tiro que a leva à morte
Motivo: Separação
Monique, 21 anos
Sonho: Já quis tocar flauta,
Agora só queria ter um marido e uma família,
Morte: 27/04/2014
Morreu no momento que levava a surra com correntes
Traumatismo craniano
Depois teve todo seu corpo queimado
Fugitivo: Seu namorado
Motivo: Ela se apaixonou por outra pessoa
Culpados?
O culpado não quer mostrar a cara
Disfarça-se em produtos,
Novelas, véus de noivas,
Felicidade coletiva gerada pelo consumo,
Na família,
No céu a ser alcançado,
Nas cartas de tarô e na astrologia.
Mas mostra-se no seu intérprete
O macho, aquele que é o mais forte,
Aquele que possui a propriedade,
Família patriarcal.
Marta, Júlia e Monique
Nunca lerão esta poesia sem rimas
E as outras Martas, Júlias, Moniques,
Marias, Palomas, Jussaras?
Lerão estas palavras?
Continuarão enxergar pelas linhas desconexas do tempo presente?
É preciso transformar o tempo presente
É preciso que as linhas deixem de ser desconexas
É preciso que as Martas, Júlias e Moniques
Deixem de ser somente notícias de rádio
E que virem coro nas vozes de toda a sua classe
Que anunciam a revolução que irá chegar.

Ana Karen Souza, 27/04/2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *