Foi uma das lideranças negras que lutou contra o sistema escravocrata no século XVII no Brasil. Não há registros de seu local de nascimento, tampouco de sua descendência africana. Os relatos levam a supor que nasceu no Brasil e estabeleceu-se no Quilombo dos Palmares (AL), ainda menina. Quando os primeiros negros se rebelaram contra a escravidão no Brasil e formaram o Quilombo dos Palmares, na Cerca Real dos Macacos-Serra da Barriga-Dandara estava junto com Ganga-Zumba. Participou de todos os ataques e defesas da resistência palmarina. Entendia que a liberdade era inegociável e opôs-se ao tratado de paz assinado por Ganga Zumba e o governo português, de medida conciliatória, que propunha condicionar e limitar reivindicações dos palmarinos em troca de liberdade controlada. Perseguindo o ideal de liberdade, desconhecia os limites quando estava em jogo a segurança do Quilombo e a eliminação do inimigo.


Dandara morreu em 1694 na frente de batalha, para defender o Quilombo dos Macacos, mocambo pertencente ao Quilombo dos Palmares.

 

Fonte:

ROSA E SILVA, E. Q.; BOMFIM, E. A. (Org). Dicionário Mulheres de Alagoas ontem e hoje. Maceió: Edufal, 2007.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *