Hoje completa um mês desde o assassinato da companheira Marielle Franco (militante do PSOL e vereadora pela cidade do Rio de Janeiro) e Anderson Gomes, e até agora as autoridades não avançaram na investigação do caso.

O Brasil lidera o ranking de assassinato de defensores de Direitos Humanos e, na maioria dos casos, nenhum responsável é identificado.

Nós bem sabemos, Marielle foi morta por ser militante dos direitos humanos e socialista, e por ser mulher, negra, bissexual e vinda da periferia. Foi morta para que o genocídio da população negra e pobre siga ocorrendo de forma impune neste país.

Nesse sentido, queremos que os responsáveis pelo assassinato sejam identificados e presos. Muito além disso, estaremos na luta, como todos aqueles que nos antecederam, construindo um novo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *