“A Violência de gênero assume muitas formas, sempre enredadas nas relações sociais capitalistas” Tese 6 do livro “Feminismo para os 99% um manifesto”

Via Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro Pelotas

Nesse momento a America Latina se rebela contra o imperialismo e as crises do sistema capitalista em gigantescas manifestações pela costa do pacífico e com as mulheres na linha de frente das lutas populares. No Chile, organizações feministas e de direitos humanos estão denunciando casos de estupro e assédio por parte de membros das Forças Especiais Chilenas, carabineiros e militares durante as detenções de manifestantes que protestam contra o pacote neoliberal implementado no país e a repressão militar violenta do presidente Sebastián Piñera.

Os portais de informação chilenos estão noticiando que, segundo a Comissão Interamericana de Direitos Humanos, os números atualizados são de 42 mortos, 12 mulheres estupradas, 121 desaparecidos e milhares de torturados. Essa barbárie evidencia a extrema violência com que o Estado burguês age quando se vê acuado diande da força e da luta organizada da classe trabalhadora. Também evidencia a relação estruturante e inseparável do capitalismo e do patriarcado, em que a violência sexual contra as mulheres é mais uma tática de controle e de manutenção utilizada pelo aparato repressor.

É preciso denunciar e combater esse sistema apodrecido que, além de nos dividir em classes, nos vulnerabiliza duplamente fazendo do estupro uma arma de guerra. As raízes das diferentes violências machistas que sofremos estão enredadas nas relações sociais sob o capitalismo e só poderão ser podadas com sua superação. E é por isso que nós, mulheres trabalhadoras, somos parte central e fundamental da revolução. Seguiremos lutando na linha de frente, pela construção do poder popular e de uma sociedade emancipada e verdadeiramente livre da exploração e opressão de raça, gênero e sexualidade. Uma sociedade que seja para os 99%!

Força a todas as mulheres que lutam e resistem em todos os cantos do mundo!

Venceremos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *